CANTO DE AMOR

Oléo Sobre Tela

80x120

Ano 2014

 

Meus quadros contam histórias de um tempo feliz, quando tudo era muito mais colorido.

Tudo era sonho, amanhã, promessas.

Alguns desses sonhos cresceram, outros ficaram velhos, perderam a cor. Um ou outro ainda resiste.

Sempre quis voltar à minha terra. Esse era um sonho.

Aqui morou a infância, aqui nasceram flores na alma, aqui os céus dourados ainda inventam manhãs.

Minha mãe Noemia, num jardim de cores, cantava canções de ninar.

Meu avô, Luiz Puntel, segurando minhas mãos, ensinava construir castelos. Meu pai tinha as chaves.

Agora os caminhos são outros. Sei de cor, as cores do cimento.

Sei o que é solidão, lonjura da terra natal.

Quando volto trazendo saudades, vontade de fincar raiz, encontro brilho nos olhos, sorrisos por todo canto.

E não é utopia. Não é um sonho.

 

Encontro esperança, alegria, portas abertas convidando para entrar.

Aqui é meu canto.